Shows e atrações esportivas marcam o Revezamento da Tocha até a cidade de Macaé

Em Campos dos Goytacazes, a chama Olímpica atravessa o Rio Paraíba do Sul em um barco a remo

Neste domingo (31), o Revezamento da Tocha Olímpica Rio 2016 passa pelas cidades de Cordeiro, Itaocara, São Fidélis, Campos dos Goytacazes, Conceição de Macabu, encerrando o dia em Macaé. Ao longo do trajeto, o público poderá acompanhar atividades artísticas e esportivas. Em Campos dos Goytacazes, a tocha atravessará um trecho do Rio Paraíba do Sul em um barco a remo. Em Macaé, a pira de celebração será na estreita faixa de terra entre a Lagoa de Imboassica e a Praia do Pecado, na Rua José Henrique da Silva. O evento termina com a apresentação de Glauco Zulo. Ao todo, serão 139 condutores neste 90º dia de evento, e o comboio vai se deslocar por 456 quilômetros.

 

·         Em Cordeiro, o revezamento da tocha começa no bairro de Dois Valles, e segue em direção ao Parque de Exposições Raul Veiga, onde acontecerá um evento com atrações culturais e ações sociais.

 

·         Os alunos das redes pública e particular de Itaocara vão acompanhar o revezamento durante todo o trajeto, que começa na Rua Circanor Rubim, em direção a Avenida Marechal Floriano Peixoto. Próximo a Rua Frei Tomás acontece uma parada de 15 minutos para a celebração da passagem da chama Olímpica, em um palanque com a presença de convidados ligados ao mundo do esporte. De lá, a tocha segue para o último trecho na Rua São José.

 

·         Em São Fidélis, o revezamento da tocha será animado pela apresentação de fanfarra da Escola Municipal Maria Firmina e do Grupo de Dança da Escola Barão de Macaúbas. O percurso começa na Rua Duque de Caxias e pela Rua Coronel João Sanches, onde há uma parada de 15 minutos para celebração. O revezamento continua na Rua Brahmann até o trecho final que é na Av. Theodoro Gouveia de Abreu.

 

·         Em Campos dos Goytacazes, o revezamento tem início na Vila Olímpica Lulu Beda, no Jardim Carioca. A tocha atravessa o leito do Rio Paraíba do Sul em um barco a remo, com destino ao Cais da Lapa. Depois, a chama Olímpica seguirá em direção à Avenida XV de Novembro até as Avenidas Alberto Torres e Alberto Lamego, encerrando o trajeto no Centro de Eventos Populares Osório Peixoto (Cepop).

 

·         O trajeto da chama Olímpica começa na Avenida Victor Sence em Conceição de Macabu. Durante o trajeto, o público poderá assistir a show gospel e também à Banda Jorge Luís Sardinha. O ponto final do roteiro será na Igreja da Matriz.

 

·         Em Macaé, o revezamento será iniciado no Estádio Moacyrzão, seguindo pela Avenida Amaral Peixoto e a Rua do Sacramento. Já a pira de celebração será acesa em um local paradisíaco, próximo à Lagoa de Imboassica e à Praia do Pecado, na Rua José Henrique da Silva. O evento termina com a apresentação de Glauco Zulo.

 

Conheça alguns condutores do dia:

 

Ana Richa foi convocada para a seleção brasileira de voleibol quando tinha 16 anos. Disputou os Jogos Olímpicos Los Angeles 1984 e foi a capitã dos Jogos Seul 1988. Migrou para o vôlei de praia, modalidade na qual chegou a disputar os Jogos Pan-Americanos Santo Domingo 2003, onde conquistou a medalha de bronze. Será condutora em Cordeiro.

 

Duda Miccuci conheceu o nado sincronizado na Paraíba. No Rio de Janeiro, filiada ao clube do coração, o Fluminense, conheceu Luísa Borges, com quem formou o dueto em 2009. Em 2014, veio a convocação para integrarem o dueto Olímpico dos Jogos Rio 2016. Será a primeira vez na história do esporte que atletas de nado sincronizado disputarão quatro provas Olímpicas, os duetos livre e técnico, e por equipes livre e técnica. Duda Miccuci é a capitã da seleção brasileira de nado sincronizado. A convite da Coca-Cola, conduz a tocha em Campos dos Goytacazes.

 

Matheus Ferreira é integrante da Ludô Cia Teatral, que se apresenta gratuitamente em cidades que não possuem teatro ou não têm acesso a espetáculos. As peças são encenadas em praças públicas e ruas, gerando interesse do público local. Será condutor em Campos a convite da Coca-Cola.

 

Shiro Matsuda nasceu no Japão, mas desembarcou no Brasil com 18 anos. Com 50 anos de carreira no judô, treinou diversos atletas e foi mestre da seleção de base do Rio de Janeiro. Atualmente, ensina judô em sua própria academia na Praça dos Navegantes. Será condutor em Macaé a convite da Nissan.

 

Kerly Cristiane Paiva dos Santos foi atleta Olímpica do vôlei. Esteve nos Jogos Olímpicos Seul 1988 e conquistou dois campeonatos mundiais. Foi para Macaé para jogar e se estabeleceu.  Advogada, tornou-se funcionária pública do município, onde será condutora a convite da Nissan.

 

Marcelo Machado é ala-armador do time de basquete do Flamengo. Esteve nos Jogos Olímpicos Londres 2012 defendendo o Brasil, onde a seleção ficou com o quinto lugar, e foi tricampeão dos Jogos Pan-Americanos (Rio 2007, Santo Domingo 2003 e Winnipeg 1999), além de ter representado o país em outras competições internacionais importantes. Conduz a tocha em Campos dos Goytacazes a convite do Bradesco.

 

Bruno Chateaubriand é empresário, jornalista e ex-esportista. Formado em jornalismo e defensor dos direitos LGBT, sofreu muito preconceito na infância e juventude até assumir sua orientação sexual. Integrou a seleção brasileira de ginástica entre 1992 e 1998, e foi seis vezes campeão brasileiro no trampolim. Será condutor em Macaé a convite do Bradesco.

 

Maria Aparecida Mello é macaense e começou a correr maratonas quando tinha 36 anos de idade. Desde então, representa Macaé em campeonatos pelo país como a corrida de São Silvestre. Com 62 anos, ela coleciona troféus, medalhas e reportagens que relatam as conquistas alcançadas.

 

Rossini Medeiros é professor aposentado de Educação Física. Sua paixão pelo esporte o levou a organizar os Jogos Olímpicos Escolares para estimular o envolvimento dos alunos com a prática esportiva. Foi responsável também pela organização de maratonas na cidade. Natural de Santo Antônio de Pádua, Rossini mora em Macaé desde a década de 60.

 

Fernando de Assis ficou conhecido como Fernando Macaé em sua carreira no futebol. Passou por clubes tradicionais como o Botafogo, o forte Bangu da década de 1980, Seleção Brasileira Sub-20, e o Cruzeiro, onde ganhou o apelido. No seu retorno à Princesinha do Atlântico, tornou-se técnico do Macaé Esporte e posteriormente abriu uma escola de futebol para crianças carentes nas categorias sub-13 e sub-15. Será condutor em Macaé.

 

Janina dos Santos chegou à seleção brasileira de vôlei em 1994. Participou da conquista do ouro nos Jogos Pan-Americanos Winnipeg 1999 e do bronze nos Jogos Olímpicos Sidney 2000. Será condutora em Campos dos Goytacazes.

 

Fabricio Garcia é paratleta na modalidade futebol de amputados. É morador da cidade de Cordeiro e atualmente atua no Audax, de Osasco (SP). Já conquistou títulos estaduais e nacionais. Conduzirá a tocha em Cordeiro.

 

Dayse Jannotti criou um grupo chamado Pedal de Batom, buscando sair do sedentarismo absoluto de anos e, em sete meses de exercícios, teve uma perda de peso considerável. Hoje, aos 52 anos, está com a hipertensão controlada e com uma saúde considerada nota 10, segundo seu médico. Será condutora em Itaocara.

 

Tiago Braga iniciou sua carreira no remo aos 14 anos, em Campos dos Goytacazes. Começou a treinar em um projeto social chamado Rema Campos, onde deu suas primeiras remadas. Aos 15 anos, foi para o Rio de Janeiro dar continuidade em seu sonho de ser um grande atleta. Com 16 anos, representou o Brasil pela primeira vez em um campeonato mundial. Em 2010, foi 5º colocado nos primeiros Jogos Olímpicos da Juventude, em Cingapura. Campeão sul-americano e várias vezes campeão brasileiro. Já remou pelo Vasco da Gama, Flamengo e Corinthians. Será condutor em Campos, a bordo de um barco a remo.

 

Leonardo Santos foi considerado o melhor lutador de jiu-jítsu da categoria leve do mundo. Sete vezes campeão mundial, ganhou o programa The Ultimate Fighter Brasil 2, um reality show do MMA. É referência do esporte de Campos, cidade em que conduz a tocha Olímpica.

Download PDF
Download PDF
Sobre Sala de imprensa

Termos de Uso

Broadcasters Detentores de Direitos (RHBs): Os RHBs podem fazer a transmissão do Revezamento da Tocha Olímpica no Brasil, de forma não exclusiva, de acordo com os termos de seus respectivos contratos firmados com o COI.

Broadcasters Não Detentores de Direitos (Non -RHBs): Os Non -RHBs podem fazer a transmissão do Revezamento da Tocha Olímpica no Brasil (com exceção das cerimônias de abertura e encerramento), de forma não exclusiva, pelo prazo máximo de 36 (trinta e seis) horas após o evento. Qualquer transmissão relacionada a este evento, deve ser realizada de forma estritamente jornalística, sem criar ou ser apresentada como um programa focado no Revezamento da Tocha Olímpica.

Nenhuma associação comercial / promocional será permitida na cobertura do Revezamento da Tocha Olímpica. Principalmente, a transmissão do Revezamento da Tocha Olímpica não poderá (i) ser patrocinado ou de qualquer for criar uma associação que crie a impressão de que o Non -RHBs e/ou qualquer entidade sem autorização e/ou seus produtos são conectados ou associados ao Revezamento da Tocha Olímpica, ao Jogos Olímpicos, ao COI e/ou ao Movimento Olímpico e (ii) implique, sugira ou represente os Non -RHBs como sendo detentores oficiais dos direitos de transmissão e/ou parceiros do Revezamento da Tocha olímpica, dos Jogos Olímpicos, do COI e/ou do Movimento Olímpico.

Cerimônias de Abertura e Encerramento: A parte do revezamento que ocorrerá durante as cerimônias de abertura e encerramento dos Jogos faz parte dos direitos exclusivos concedidos aos RHBs e qualquer transmissão pelos Non-RHBs deve ser realizada em observância às Novas Leis de Acesso do COI.

Terms of Use

Rights Holding Broadcasters (RHBs): RHBs may broadcast the Olympic torch relay in Brazil, on a non-exclusive basis, in accordance with the terms of their respective media rights agreement with the IOC.

Non-Rights Holding Broadcasters (Non-RHBs): Non-RHBs may broadcast the Olympic torch relay in Brazil (with the exclusion of the opening and closing ceremonies), on a non-exclusive basis, for a maximum of 36 hours after the event. Any such broadcast must be positioned as news only and not to create, or be positioned as, Olympic torch relay focused programming.

No commercial/promotional association is permitted with the coverage of the Olympic torch relay. In particular, broadcast of the Olympic torch relay may not (i) be sponsored or otherwise be associated in any way to give the impression that Non-RHBs and/or any unauthorized entities and/or products are linked to or associated to the Olympic torch relay, the Olympic Games, the IOC and/or the Olympic Movement and (ii) imply, suggest or represent Non-RHBs as being official rights holding broadcasters and/or partners of the Olympic torch relay, the Olympic Games, the IOC and/or the Olympic Movement.

Opening and Closing ceremonies: The part of the torch relay occurring during the opening and closing ceremonies of the Games is part of the exclusive rights granted to RHBs and any broadcast by Non-RHBs must comply with the IOC News Access Rules.